img

Bambu nos carros vira tendência eco

13 de maio de 2017 Sem Comentários

Nos últimos anos, as montadoras de carro começaram a prestar mais atenção na sustentabilidade e no reaproveitamento de materiais. A Ford, por exemplo, vem se dedicando a pesquisar materiais alternativos à produção de automóveis. Itens curiosos já entraram na lista, como goma de mascar, frutas, rolhas de vinho e o agave, planta usada na produção da tequila. Agora, a Ford China aposta no uso do bambu, essa planta tão tradicional e abundante naquela região, como possível matéria-prima sustentável para a aplicação em componentes do interior dos automóveis. Assista o vídeo.

 

 

As qualidades do bambu são reconhecidos há mais de um século. Thomas Edison experimentou o material quando criou sua primeira lâmpada. Na construção civil, a sua resistência à tensão mecânica (o quanto aguenta ser vergado até se quebrar) é bem conhecida, sendo igual ou melhor que a de alguns tipos de metal. Além disso, por crescer rápido – até 1 metro por dia – e atingir a maturidade em dois a cinco anos, enquanto outras árvores levam décadas, também se regenera facilmente. “O bambu é incrível”, avalia Janet Yin, supervisora de Engenharia de Materiais do Centro de Pesquisa da Ford em Nanjing, na China. “Ele é forte, flexível, totalmente renovável e existe em grande quantidade na China e em diversas outras partes da Ásia”.

 
Nos últimos anos, Janet e sua equipe têm estudado junto com fornecedores o uso do bambu combinado com plástico para desenvolver peças extrarresistentes de acabamento interno dos veículos. Eles verificaram, por exemplo, que o bambu tem um desempenho muito melhor que outras fibras naturais e sintéticas em provas de resistência e impacto, além de manter a integridade após testes de aquecimento a mais de 100°C.

 


Na Ford, o uso de materiais sustentáveis nos veículos só é aprovado depois de atender os rigorosos padrões globais de desempenho e qualidade da marca. Esse trabalho é desenvolvido também fora do laboratório. “Quando eu conto para as pessoas como estamos usando materiais sustentáveis e recicláveis em veículos, ou elas amam a ideia logo de cara ou querem ter certeza de que os materiais são de alta qualidade”, conta Janet Yin. “Depois de entender como funciona esse trabalho, elas aderem à causa”.

 

 

A Ford já usa hoje vários materiais sustentáveis nos seus carros. Entre outros, podem ser citados: o kenaf, planta da família do algodão, em forros de porta; tecido Repreve, feito de garrafas plásticas recicladas, em bancos; algodão reciclado de calças jeans e camisetas em estofamento e isolamento acústico; carpete de nylon reciclado em coberturas de motor; garrafas plásticas recicladas em carpetes e forros de caixas de roda; pneus reciclados ​​em selos e juntas; casca de arroz e palha de trigo como reforço de peças plásticas; e espumas à base de soja em bancos.

img

Gesto Verde alcança meta plantando árvores

20 de novembro de 2014 Sem Comentários

No dia que o Blog Moda Verde nasceu, um dos primeiros posts eu falei aqui sobre a Gesto Verde que tinha um trabalho muito bacana sobra a neutralização de CO2 em sites com a plantação de árvores. E não e que na semana passada eu recebi um e-mail deles falando que o objetivo foi alcançado! Olha que bacana…

 

“É grande felicidade que venho anunciar que conseguimos completar nosso desafio. Com essa conquista, o Gesto Verde se despede de todos que nos ajudaram a dar vida à campanha. Hoje, batemos no peito com gratidão ao dizer que conseguimos exatamente 1429 participantes, e que graças a você e todos os outros, conseguimos dar vida a uma das mais renomeadas campanhas em pról do meio ambiente já criada pela internet, o Gesto Verde. Foram mais de dois anos lutando contra a emissão de CO2 lançados pelos servidores que mantêm as páginas da web no ar, e felizmente conseguimos neutralizar uma grande quantidade plantando árvores em nossa floresta para cada participante que aderia a campanha. Mesmo sem o Gesto Verde, gostaríamos que você não deixasse de ajudar o nosso planeta. Faça sempre o possível para que, a cada dia que acordarmos, tenhamos mais um dia de vida no futuro. Muito obrigado por ter feito parte da nossa história. Nós e o nosso planeta seremos eternamente gratos à você”.

 

Não é bacana ter um retorno desse, principalmente quando a notícia é tão boa assim?! Pena não poder continuar com essa parceria. Se alguém souber de outras empresas que também fazem esse trabalho de neutralização de CO2 deixa um comentário pra mim…

img

App identifica trabalho escravo na moda

10 de setembro de 2014 Sem Comentários

Já está no ar a mais recente atualização do aplicativo Moda Livre. Disponível gratuitamente para Android e iPhone, o app apresenta de forma ágil e acessível as medidas que as principais marcas e varejistas de roupa do país vêm tomando para evitar que as peças vendidas a seus clientes sejam produzidas por trabalho escravo. Lançado em dezembro de 2013, o app foi desenvolvido pela ONG Repórter Brasil, referência nacional na defesa dos direitos humanos.

 

montagem modalivre3

 

Nesta nova atualização, a base de empresas avaliada foi ampliada para incluir mais nomes consagrados no mercado nacional da moda. É o caso das holdings Inbrands – que controla grifes refinadas como Ellus, Richards, Mandi e Bobstore – e do grupo AMC Têxtil, responsável por marcas conhecidas do público brasileiro, como Forum, Colcci e Triton.

 

Outra companhia detentora de marcas valiosas (como Siberian, Crawford e Memove), a Valdac Global Brands também integra o hall de companhias analisadas. Há também varejistas presentes de norte a sul do Brasil, como as Lojas Americanas, e fabricantes de roupas bastante tradicionais no mercado nacional – como Malwee e Marisol.

 

montagem modalivre1

 

O Moda Livre avalia os principais grupos varejistas de moda em atividade no país, além das empresas em que a produção de roupa foi marcada por casos de trabalho escravo flagrados por fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A Repórter Brasil convidou todas as companhias a responder a um questionário-padrão que avalia basicamente quatro indicadores: políticas, monitoramento, transparência e histórico.

 

As respostas geram uma pontuação e, com base nela, as empresas são classificadas em três categorias de cores: verde, amarelo e vermelho. Aquelas que não responderam ao questionário, apesar dos insistentes convites, foram automaticamente incluídas na categoria vermelha.

 

montagem modalivre2

 

 

Fonte: ONG Repórter Brasil

img

Computador ecofriendly feito de papelão

27 de agosto de 2014 Sem Comentários

Cerca de 85% de todos os produtos que são vendidos no mundo são embalados em papelão, e a manufatura desse material produz e lança diversos gases perigosos diariamente na atmosfera. Apesar de estar entre os produtos que apresentam maior taxa de reciclagem no Brasil – cerca de 45,5% (em 2011) -, imagine se os outros 54,5% fossem transformados em um computador? Sensacional não é?

 

montagem papelão1

 

Então, esse computador já existe e foi desenvolvido por um projeto acadêmico na faculdade de Houston nos Estados Unidos. No Recompute a caixa que protege as peças do computador é feita de papelão, mas a sustentabilidade também está empregada em todo o ciclo de vida, da produção ao descarte.

 

montagem papelão2

 

Segundo a marca, o material é seguro e não corre o risco de pegar fogo, por exemplo, pois as próprias ranhuras no papelão funcionam como ventilação natural para a máquina. Já se ocorrer de o produto se molhar, os testes feitos mostraram que a máquina poderia ser usada após 24 horas.

 

montagem papelão3

 

Além disso, o projeto do Recompute facilita a desmontagem, se tornando não só mais fácil de reciclar, mas aumentando a probabilidade de que isso aconteça. E, mesmo que o Recompute não seja reciclado, o impacto será significativamente menor do que o de um computador normal.

 

Os modelos podem custar de 599,95 dólares a até 999,95 dólares, e podem ser comprados pelo próprio site do produto (aqui), mas não consegui ver se eles entregam no Brasil. De qualquer forma, achei tão bacana, que não poderia deixar de falar aqui no blog. Gostaram?

img

Cases sustentáveis para o seu telefone

24 de julho de 2014 Sem Comentários

Já disse que eu sou a louca das capinhas e cases para celular/tablet (rs!)? Adoro trocar meus modelos e, opções não faltam para deixar o seu aparelho mais “verdinho”. É que muitas marcas começaram a investir nesse segmento e as opções são tão lindas que fica até difícil escolher qual a preferida. Então hoje eu fiz uma seleção de algumas marcas que possuem cases muito lindas e melhor, ecologicamente corretas!

 

1) Casco

Compostas por materiais orgânicos, como lâminas de bambu e cola biodegradável, tudo nessas Boocase é sustentável. Elas existem desde 2011 e segundo a empresa, eles ainda realizam estudos de impacto e resíduos dos processos de produção de cada objeto. Para comprar os produtos que são feitos em material 90% biodegradáveis, a marca tem uma loja online. Os preços variam de R$ 89,00 a R$99,00.

montagem casco2) Wear Leaf 

O que mais gosto dessa marca é que eles tem opções bem fininhas, na verdade são skins feitas à mão. Lá na Leaf eles utilizam madeiras com certificação de uso FSC e se preocupam bastante com a ética dos fornecedores. E o mais bacana é que as skins são feitas com as sobras das lâminas de madeira dos óculos que eles produzem, e eu já falei aqui, lembram?! Os preços das skins custam R$ 25,00 e as cases R$ 95,00 – o frete é grátis.

montagem leaf

 

3)  Pau Brasil

A marca é de um grupo de designers de São Paulo, que estavam cansados de tudo aquilo que tem no mercado: “daqueles mesmos produtos iguais, dos mesmos materiais sintéticos”. As capinhas são feitas em madeira, e eles tem opções para outros modelos de celular. A marca também fabrica óculos e o frete é grátis. Os preços variam de R$ 32,00 a R$ 115,00 e as cases podem ser personalizadas.

montagem paubrasil

 

Outra marca brasileira que eu também já falei no blog é a Wookit – aqui!

 

Marcas ‘gringas’ que entregam no Brasil

4) Grove Made 

Utilizando matérias-primas sustentáveis, a Grove produz capas protetoras de bambu, cuja metade da quantidade é certificado pela FSC, mas a empresa promete lançar um novo modelo com 100% da matéria-prima certificada. A embalagem também é feita com o bambu reaproveitado das próprias peças. As peças custam entre U$39 e U$119 e eles enviam o produto dos EUA para todo o mundo.

montagem grove

 

5) WoodBuds

A marca é da Inglaterra e tem vários modelos de cases de madeira sustentável – sua fonte é renovável e o gasto de energia não reutilizável é mínimo. Eles também possuem vários modelos de fone de ouvido de madeira dura e com cabos de plástico derivados de biomassa.  O escritório da companhia possui certificado do FSC e, a cada 100 produtos vendidos, eles plantam uma árvore. As capinhas custam US$ 25,00.

montagem woods

 

 

E ai, gostaram?

Se conhecem alguma outra marca deixem um comentário pra mim! 🙂

Blog Moda Verde
© 2014 Todos os direitos reservados

Andressa Designs